Contar Bad Beats é um hábito destrutivo

Esqueça as Bad Beat
Compartilhe:

Fala, Poker Player!

Andou levando alguma bad beat ultimamente?

Esse texto vai pegar na ferida de muita gente…. Espero que você não me leve a mal, e após ler todo o artigo reflita se o que eu vou lhe contar nos próximos parágrafos faz sentido. Ok?

O que é uma bad beat? Basicamente é quando uma mão com estatística desfavorável vence a disputa. (Se você sentir dúvida com alguns termos do poker, acesse aqui o dicionário do Brasil Poker).

Um dos fatores que me fez runnar melhor de uns anos pra cá foi quando entendi que contar bad beats só faz uma coisa: atrair a próxima bad beat para você contar, e assim por diante. Você entra em um ciclo nocivo de se sentir vítima do baralho! Muito cuidado com isso, esse pode ser um dos fatores que está te atrasando.

Colocar na conta das bad beats suas derrotas e fracassos é muito cômodo, para ser lucrativo no poker, você precisa acreditar fielmente que a responsabilidade pelos seus resultados é somente sua.

“Mas Sagaz, eu tinha AA e um jogador foi All-In pré-flop com 89off e seguiu no river, como posso ser responsável por isso?”

Sim, esse é um caso clássico de bad beat em que você é 80% favorito, e os outros 20% da estatística te contrariaram. Agora pegue um universo de 100 mil mãos que você entrar 80% favorito; Em média, você ainda vai perder 20 mil vezes. Será que vale a energia negativa de contar pra alguém como foram essas 20 mil derrotas frustrantes?

Esse comportamento não agrega nada de positivo para você e muito menos para a pessoa que vai ouvir. “Mas Sagaz, ele só tinha o 6 de espadas no river pra salvar a mão dele, eu já estava flush nutz, não vou contar pra ninguém essa fatalidade que aconteceu comigo?” A resposta é NÂO!!!! Mude esse hábito o quanto antes.

Pare de se vitimar, mude o seu mindset, por mais dolorida que seja a bad beat, se condicione a esquecê-la rapidamente e foque na sua próxima mão ou torneio. Vai ficar replicando a bad pelos cantos para justificar o motivo da sua perda? Você não precisa disso. Segue o jogo!

Tente arquivar na sua mente apenas as mãos que são discutíveis, aquelas que você vai comentar com outros jogadores, entender suas linhas de raciocínios e evoluir nas decisões. Isso sim é muito valioso e recomendado a fazer.

Você entendeu que trazer os momentos ruins com você não lhe fará uma pessoa mais confortável, muito pelo contrario, será como um imã de situações ruins? Você pode ser a vítima ou uma pessoa de resultados, jamais as duas coisas ao mesmo tempo. Reflita. E pare de ficar “contando parada” toda hora e pra todo mundo.

Abraços

João Duque
João Duque
, 30 anos, Empreendedor, Brasiliense. Dedica parte do seu tempo ao grind e estudo dos “Torneios Turbos”, é Sócio-Diretor do Brasil Poker.

sagaz@brasilpoker.com.br | Facebook | Instagram

 


Compartilhe:

About João Duque

João Duque, 31 anos, Empreendedor, Brasiliense. Dedica parte do seu tempo ao grind e estudo dos “Torneios Turbos”, é autor do E-book - Lógica do Poker: Decifrando "Valor e Blefe", e é Sócio-Diretor do Brasil Poker.

View all posts by João Duque →

Deixe seu comentário: